• 0
Você sabia que sorrir faz bem?

Você sabia que sorrir faz bem?

Categoria:Artigos

Sorrir ajuda a tratar e combater doenças!

Não é à toa que o riso está presente nos mais diversos tratamentos cognitivos para saúde. O ato de sorrir tem um poder enorme sobre o corpo e o resultado positivo de terapias com este embasamento é comprovado por pacientes em hospitais no mundo todo.

Ao ouvir uma piada ou presenciar um fato engraçado, uma pessoa sente automaticamente vontade de sorrir. Para este simples ato, existem diversas funções cerebrais sendo ativadas e que influenciam áreas como a coordenação motora e sensações emocionais diversas, como o sentimento de recompensa e de prazer. “O riso relaxa o corpo e a mente, fortalece as defesas orgânicas, melhora a circulação e a pressão arterial e libera endorfinas, que promovem uma sensação de bem-estar geral. Enfim, rir é saudável”, explica Eduado Lambert, em seu livro “A Terapia do Riso”.

Em um estudo conduzido pelo Dr. Michael Moleiro, na Universidade de Maryland, EUA, os pesquisadores avaliaram como o corpo humano reagia ao riso. Após realizar diferentes testes com 27 voluntários, os cientistas concluíram que rir pode ser tão benéfico quanto a prática de exercícios físicos.

Um bom riso é bem-vindo em qualquer situação. Mas, em alguns momentos ele pode ganhar ainda mais importância. Diversos projetos internacionais que trabalham em hospitais usam o humor e o sorriso para ajudar no tratamento de crianças e adultos. Além de melhorar o ambiente e elevar a autoestima dos pacientes, o sorriso exerce importantes funções fisiológicas, incentivando e estimulando a maioria dos sistemas do organismo.

Uma boa risada movimenta todos os músculos da face, aumenta a quantidade de ar nos pulmões, acelera o ritmo cardíaco e a circulação sanguínea, estimula o pâncreas, fígado e intestino e muito mais. Para doenças emocionais, como a depressão, o uso do riso é ainda mais importante, pois ajuda a diminuir a ansiedade e o desconforto, mesmos motivos que levam especialistas a recomendarem a terapia do riso a pacientes com câncer e outras doenças incuráveis.

O riso é contagioso e muito poderoso, seja no auxílio médico ou no simples fato de deixar o dia mais leve, os relacionamentos mais saudáveis e, principalmente, a vida mais feliz.

 

FONTE: ciclovivo.com.br

 

  fb.com/iomodontologia/

(11) 98445.0119

IOM Instituto Odontológico Mogiano


  • 0
O que é ATM?

O que é ATM?

Categoria:Artigos

O QUE É?

D-ATM, ou disfunção da articulação temporomandibular, é uma alteração da articulação que liga o maxilar à mandíbula que pode, por exemplo, não estar funcionando adequadamente. Essa articulação é uma das mais complexas do corpo humano, responsável por mover a mandíbula para frente, para trás e para os lados. Qualquer problema que impeça a função ou o adequado funcionamento deste complexo sistema de músculos, de ligamentos, de discos e de ossos é chamado de D-ATM. Geralmente, a D-ATM dá a sensação ao indivíduo acometido de que sua mandíbula está saltando para fora, fazendo um estalo e até travando por um instante. A causa exata desta disfunção, em geral, é impossível de ser identificada.

Quais os sintomas da D-ATM?

Disfunções de ATM apresentam muitos sinais e sintomas. É difícil saber com certeza se você tem D-ATM, porque um destes sintomas ou todos eles podem também estar presentes em outros problemas. Seu dentista poderá ajudá-lo a fazer um diagnóstico preciso, através de uma história médica e dentária completa, um exame clínico e de radiografias adequadas.

Alguns dos sintomas mais comuns de D-ATM são:

– Dores de cabeça (freqüentemente parecidas com enxaquecas), dores de ouvido, dor e pressão atrás dos olhos;

– Um “clique” ou sensação de desencaixe ao abrir ou fechar a boca;

– Dor ao bocejar, ao abrir muito a boca ou ao mastigar;

– Mandíbulas que “ficam presas”, travam ou saem do lugar;

– Flacidez dos músculos da mandíbula;

– Uma brusca mudança no modo em que os dentes superiores e inferiores se encaixam.

Como tratar a D-ATM?

Embora não exista uma cura para a D-ATM, existem diversos tratamentos que você pode seguir para diminuir consideravelmente os sintomas. Seu dentista pode recomendar um ou mais dos seguintes tratamentos:

– Tentar eliminar a dor e o espasmo muscular através da aplicação de calor úmido ou através de medicamentos como relaxante muscular, aspirina ou outros analgésicos comuns, ou ainda antiinflamatórios;

– Reduzir os efeitos prejudiciais de travamento ou rangido, por meio de um aparelho, algumas vezes chamado de placa de mordida ou “splint”. Este aparelho, feito sob medida para sua boca, se encaixa nos dentes superiores e ao deslizar sobre os dentes inferiores impede estes dentes inferiores de ranger contra os dentes superiores;

– Aprender técnicas de relaxamento para ajudar a controlar a tensão muscular na mandíbula. Seu dentista pode sugerir que você procure condicionamento e aconselhamento para ajudar a evitar o estresse;

– Quando partes da mandíbula são afetadas e os tratamentos não surtiram efeito, uma cirurgia na articulação pode ser recomendada.

 

FONTE: www.minhavida.com.br

  fb.com/iomodontologia/

(11) 98445.0119

IOM Instituto Odontológico Mogiano


  • 0

Saiba a importância das frutas para ter uma gengiva saudável

Categoria:Artigos

Bananas, maçãs, laranjas e blueberries são lanches saborosos, e comê-los pode também levar a gengivas mais saudáveis, especificamente para homens brancos acima dos 65 anos.

Pesquisadores que estudaram idosos saudáveis por até 24 anos descobriram que os mais idosos que ingeriam mais frutas ricas em fibras exibiam menor risco de perda do osso alveolar, menor probabilidade de perda dental e menor risco de recessão gengival.

O Departamento de Assuntos de Idosos dos Estados Unidos conduziu um estudo odontológico de longa duração, liderado pela Dra. Elizabeth Krall Kaye na Faculdade de Odontologia da Universidade de Boston, que acompanhou 625 homens da área de Boston por um tempo médio de 15 anos. Os resultados foram publicados online no mês de fevereiro no Journal of the American Geriatrics Society.

Dr. Kaye e sua equipe avaliaram primeiramente a saúde dental dos participantes em 1984 e a cada três a cinco anos depois disso. Descobriram que a ingestão de vegetais, legumes e grãos ricos em fibras não reduzia significativamente o risco de doença gengival e que os benefícios de comer frutas ricas em fibras não foram observados nos homens com menos de 65 anos de idade.

Antes de cada exame, os homens preencheram um questionário sobre os alimentos ricos em fibras que ingeriam diariamente contendo mais de 2,5 g de fibra por porção, incluindo bananas, maçãs, laranjas, blueberries, brócolis, couve-de-bruxelas, batatas doces, espinafre, amendoim, aveia e outros grãos.

O estudo não comprova que frutas ricas em fibras reduziram o risco dos homens de doença gengival, mas ele poderia ligar a outros fatores que contribuem com uma saúde bucal melhor. A ingestão de frutas ricas em fibras também poderia significar que uma pessoa tem uma ingestão mais alta de vitaminas, um estilo de vida mais saudável, usa o fio dental com mais frequência ou fuma menos, fatores esses que podem ser a razão para gengivas mais saudáveis.

A Dra. Kaye e sua equipe também teorizam que, uma vez que alimentos com mais fibras requerem mais mastigação, eles aumentam a produção de saliva que, por sua vez, remove bactérias nocivas da boca. Especulam também que as fibras da dieta poderiam ajudar a reduzir a doença gengival por ajudar a reduzir a hiperglicemia e a hipertensão, ambas fatores de risco para doença gengival.

A Associação Dental Americana recomenda check-ups e exames periodontais regulares. Os fatores de risco incluem fumar ou mascar tabaco; doenças sistêmicas como diabetes; várias medicações como esteróides, drogas para tratamento do câncer e contraceptivos orais; próteses mal adaptadas; dentes apinhados; restaurações defeituosas e gravidez, de acordo com a ADA.

Diz a ADA que os sinais de alerta incluem gengivas que sangram facilmente, gengivas vermelhas, inchadas ou sensíveis; gengivas que se afastaram dos dentes; mau hálito persistente ou gosto ruim na boca; dentes permanentes que estão frouxos ou se separando; alterações na maneira como os dentes se encaixam ao mastigar; ou qualquer alteração no encaixe de próteses parciais.

 

FONTE: www.colgate.com.br

fb.com/iomodontologia/

(11) 98445.0119

IOM Instituto Odontológico Mogiano


  • 0

Entenda por que os dentes mudam de cor – Causas e Tratamentos

Categoria:Artigos

Entenda por que os dentes mudam de cor – Causas e Tratamentos

 

As alterações da cor dos dentes, de um único dente ou de todos, interferem negativamente na aparência do sorriso, causando insatisfação e incômodo. Também pode ser um sinal de que alguma situação anormal está ocorrendo na boca. Por isso, é importante termos informações básicas sobre o assunto.

Caso essas alterações de cor sejam constatadas, há a necessidade de procurar um profissional da odontologia para avaliar e orientar o paciente quanto a gravidade da situação e seu possível tratamento. Este, pode ser simples, ou necessitar de procedimentos um pouco mais complexos e demorados. As alterações de cor dos dentes podem ser:

– Extrínsecas, quando são superficiais e associadas a pigmentos alimentares, bebidas, tabaco e má higiene oral.
– Intrínsecas, quando são profundas, com origem na parte interna dos dentes. Nesses casos, ocorrem alterações nas estruturas dos tecidos dentários (polpa e dentina) e a cor dos dentes ficam naturalmente amareladas.

Podem haver também alterações dentárias congênitas. Como exemplo, podemos citar a amelogênese imperfeita, que ocorre quando os dentes já nascem com manchas brancas ou amarelas.

Existem também as causas fisiológicas, como o escurecimento dos dentes por envelhecimento. O uso de medicamentos como a Tetraciclina e o Flúor também podem escurecer os dentes. Os traumas dentários podem também levar a necrose pulpar e infecção provocando, muitas vezes, o escurecimento dos dentes.

De modo geral, o paciente não tem condições de fazer sozinho uma avaliação sobre a gravidade de seu caso. O dentista é o único profissional indicado para auxiliar o paciente em seu diagnóstico e tratamento. Sempre que o paciente perceber alguma alteração na tonalidade de seus dentes, é importante que se procure o profissional adequado. Por exemplo: alterações de cor dos dentes mais generalizadas são geralmente provocadas por pigmentos alimentares, fumo, má higiene oral ou podem ser amarelados naturalmente pelo envelhecimento. Esses são problemas de soluções mais simples como, orientação sobre higiene oral, limpeza profissional e um clareamento dental. Em casos mais extremos de escurecimento dentário generalizado também podem ser indicados tratamentos mais complexos como próteses e coroas. Nos casos de alterações de cor em um dente isolado, que vem piorando há algum tempo, é provável que esteja ocorrendo uma situação patológica. Podem haver infecções envolvidas e até mesmo a perda do elemento dentário. Isso indica a urgência na procura de tratamento. As causas podem ser decorrentes de traumas, cáries ou restaurações defeituosas.

De acordo com a avaliação profissional e a gravidade do caso, o dentista necessitará apenas de um exame clínico para dar um diagnóstico e sugerir o tratamento adequado. Mas também pode haver a necessidade de exames complementares como o radiográfico e testes específicos relacionados à vitalidade do elemento dentário. Após o diagnóstico, procedimentos odontológicos mais complexos podem ser indicados como: troca de restaurações, tratamentos de canal, próteses e os clareamentos dentários.

Fique sempre atento à sua saúde bucal, fazendo o auto-exame durante a escovação diária e em caso de alterações de cor ou qualquer outro sinal e sintoma procure seu dentista. Assim, receberá a orientação adequada quanto à necessidade ou não de tratamento. Seja qual for a sua insatisfação relacionada a estética de seu sorriso, sempre existe uma solução possível que irá deixa-lo mais satisfeito e feliz.

 

Fonte: Dra Claudia Nascimento

fb.com/iomodontologia/

(11) 98445.0119

IOM Instituto Odontológico Mogiano


  • 0
sangramento na gengiva

Sangramento na Gengiva: É normal?

Categoria:Artigos

Sangramento nas gengivas é sinal de que elas não estão saudáveis como deveriam. Uma das experiências mais desagradáveis na saúde bucal é lidar com o sangramento nas gengivas. Em alguns casos, isto pode até atrapalhar as pessoas de cuidarem adequadamente de seus dentes – o que só faz agravar o problema.
O sangramento nas gengivas se deve principalmente à inflamação na gengiva, condição comum chamada de gengivite – caracterizada principalmente pela remoção inadequada de placa dos dentes na linha da gengiva.

Se a placa não for removida com escovação regular e visitas ao dentista, endurecerá e se tornará o que é conhecido como tártaro. Essencialmente, isso levará a aumento no sangramento e à forma mais avançada de doença na gengiva, conhecida como periodontite.

Outras causas de sangramento na gengiva incluem:

* Qualquer desordem hemorrágica
* Escovação com muita força
* Alterações hormonais durante a gravidez
* Púrpura idiopática trombocitopênica
* Dentaduras mal ajustadas
* Uso inadequado de fio dental
* Infecção, que pode ser relacionada ao dente ou à gengiva
* Leucemia
* Escorbuto
* Uso de afinadores do sangue
* Deficiência de vitamina K

Consulte um médico se:

* O sangramento for grave ou de longo prazo (crônico)
* Suas gengivas continuarem sangrando mesmo depois do tratamento
* Você tiver outros sintomas inexplicados com o sangramento

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

* As gengivas sangram muito?
* O sangramento começou recentemente?
* As gengivas sangram com frequência ou só às vezes?
* Você já teve problemas na gengiva?
* Com que frequência você escova os dentes?
* Com que frequência você usa fio dental?
* Você usa uma escova de dentes macia ou dura?
* Você tem o costume de escovar os dentes com muita força?
* Que outros auxílios para cuidado dentário em casa você usa, como palitos de dente ou outro?
* Qual foi a última vez em que você marcou uma consulta com um dentista?
* Você mudou sua dieta recentemente?
* Consome quantidades adequadas de frutas e legumes?
* Toma suplementos vitamínicos?
* Tem uma dieta rica em carboidratos?
* Que medicamentos você toma? Toma medicamentos para convulsões, afinadores de sangue ou analgésicos?
* Está grávida?
* Trocou de enxaguante bucal ou pasta de dente recentemente?
* Quais são seus outros sintomas?

A gengiva sangrando pode ter diversas causas, de modo que o tratamento varia de acordo com o diagnóstico estabelecido pelo médico. Por isso, somente um especialista capacitado pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. O medicamento mais comum no tratamento de gengivas sangrando é o Gingilone.
Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique. Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula.

 

FONTE: www.minhavida.com.br/

fb.com/iomodontologia/

(11) 98445.0119

IOM Instituto Odontológico Mogiano


  • 0

CÁRIE: Como identificar e tratar?

Categoria:Artigos

Como identificar a cárie e como tratar ?

A cárie dentária, também conhecida popularmente como dente podre, é uma infecção dos dentes causada por bactérias que formam placas duras e difíceis de remover em casa. Nesta placa as bactérias vão aos poucos perfurando o esmalte dos dentes causando dor e desconforto quando chegam nas partes mais profundas dos dentes.

Uma das principais bactérias causadoras da cárie é a Streptococcus mutans, especialmente em crianças, que pode ser facilmente transmitida de uma pessoa para outra através do contato próximo como o beijo na boca ou ao se dividir talheres, por exemplo. Assim, quando se tem uma cárie é recomendado evitar beijar na boca da criança, ainda que seja filho, nem provar a comida dele, para saber se está muito quente, usando o mesmo talher.

No entanto, a principal causa do surgimento de cáries continua sendo a falta de higiene bucal, principalmente quando associada ao consumo exagerado de alimentos com açúcar, como bolos, doces ou biscoitos, pois são fatores que facilitam o desenvolvimento de bactérias nos dentes.

SINTOMAS:

O principal sintoma da cárie é a dor de dente, mas em alguns casos pode ainda existir:

* Dor que piora ao comer ou beber algo doce, frio ou quente;
* Presença de furinhos em um ou mais dentes;
* Manchas marrom ou branca na superfície do dente;
* Sensibilidade ao tocar num dente;
* Gengiva inchada e dolorida.

Na fase inicial, muitas vezes a cárie não apresenta qualquer sintoma e, por isso, quando surgem os primeiros sintomas é muito importante ir imediatamente no dentista para confirmar o diagnóstico e iniciar o tratamento adequado, evitando complicações como uma infecção mais grave ou a perda de um dente.

CONFIRMANDO O DIAGNÓSTICO:

A melhor forma de confirmar o diagnóstico de cárie dentária é consultar um dentista, pois ele poderá utilizar equipamento especial que permite observar o interior da boca e todos os lados dos dentes, procurando pequenos furos que possa indicar a presença de cáries. Por vezes, ao observar a presença de um ‘furinho’ no dente, o dentista coloca um instrumento com uma ponta muito fina, dentro desse buraquinho para avaliar sua profundidade e se a pessoa sente dor. Além disso, se a cárie se encontrar entre dois dentes, por exemplo, o dentista pode ainda fazer um raio X para identificá-la.

TRATAMENTO:

A única forma de tratar uma cárie dentária é numa consulta com o dentista, não existindo um tratamento caseiro capaz de eliminá-la. Por vezes, basta apenas 1 sessão para eliminar a cárie, com uma obturação no dente, mas quando muitos dentes estão afetados, o tratamento pode ser mais prolongado e dispendioso, podendo ser preciso recorrer ao tratamento de canal ou até mesmo à retirada do dente, que depois precisa ser substituído por uma prótese.

PREVENÇÃO:

A melhor estratégia para evitar a cárie é escovar os dentes, pelo menos, 2 vezes por dia para eliminar os restos de comida dos dentes e evitar a formação de placa bacteriana. Tomar um golinho de água depois de comer também é uma boa estratégia, especialmente quando não se pode escovar os dentes.

No entanto, outros cuidados importantes incluem:

* Diminuir o consumo de açúcar e de alimentos que grudam nos dentes;
* Preferir um creme dental com flúor sempre que escovar os dentes;
* Comer 1 maçã depois da refeição para limpar os dentes;
* Comer 1 fatia de queijo amarelo como cheddar, por exemplo para normalizar o pH da boca, protegendo os dentes das bactérias que causam cáries;
* Ter sempre um chiclete sem açúcar por perto porque a mastigação estimula a salivação e esta protege os dentes porque não permite que as bactérias produzam o ácido que corroem os dentes.
* Passar o fio dental e enxaguante bucal, principalmente antes de dormir, e se usar aparelho, sempre depois de comer.

Além disso, é aconselhado ir ao dentista a cada 6 meses, para fazer uma limpeza mais profunda nos dentes, removendo completamente a placa bacteriana. Em alguns casos, o dentista pode também aplicar uma fina camada de flúor nos dentes, especialmente nos das crianças para fortalecer os dentes.

 

FONTE: www.tuasaude.com/

fb.com/iomodontologia/

(11) 98445.0119

IOM Instituto Odontológico Mogiano


  • 0

O que é Alvéolo Seco ?

Categoria:Artigos

Saiba sobre o Alvéolo Seco e quando ele ocorre

Os dentes mais frequentemente extraídos são os terceiros molares, também chamados dentes do siso. Algumas pessoas têm, na boca, espaço suficiente para acomodar os dentes do siso enquanto outras sofrem devido à falta de espaço. Os dentes do siso permanecem sob a gengiva ou erupcionam fora de alinhamento com o resto dos dentes. Dentes do siso abaixo da linha da gengiva pode causar dor, inchaço e até empurrar outros dentes.

Quando um dente do siso ou qualquer outro dente é extraído, podem ocorrer complicações pós-cirúrgicas, entre as quais: infecção, amortecimento do lábio inferior ou da língua devido a dano no nervo, rigidez mandibular e alvéolos secos. Após a extração, forma-se um coágulo na cavidade do osso antes ocupado pelo dente (alvéolo) que recobre a área até sua cicatrização. O alvéolo seco ocorre quando o coágulo sanguíneo se desfaz ou se desloca e os ossos e nervos ficam expostos.

Os primeiros cinco dias, ou mais, após a extração são muito importantes. É nesse período que a incidência da alveolite é mais elevada. Normalmente, o alvéolo seco é muito doloroso.

O dentista vai lavar o alvéolo vazio, remover detritos e aplicar curativos para proteger a área e diminuir a dor ou desconforto. Ele pode também receitar um antibiótico, para evitar a infecção do alvéolo, e até mesmo um analgésico para evitar que você sinta a dor. Além disso, também pode lhe dar alguns conselhos sobre o que comer ou beber e como irrigar a área do alvéolo. O repouso é importante durante os 7 a 10 dias para agilizar a cicatrização. Seu dentista deve marcar outra consulta para monitorar a cicatrização e ver como você está sentindo.

 

FONTE: www.colgate.com.br/

fb.com/iomodontologia/

(11) 98445.0119

IOM Instituto Odontológico Mogiano


  • 0
higiene bucal infantil

Fases da Higiene Bucal Infantil – Recomendações

Categoria:Artigos

Recomendações para a saúde bucal, fase 1 (4-24 meses)

Para evitar a acumulação da placa, que é uma bactéria suave e pegajosa que contem depósitos que se acumulam sobre os dentes e ocasionam cáries, os pais devem começar com uma limpeza regular das gengivas do seu bebê recém-nascido com um pano úmido depois de alimentá-lo (seja com o peito ou mamadeira).Desde o aparecimento do primeiro dente, os pais devem escovar os dentes do seu filho durante dois minutos, duas vezes por dia, usando uma escova de dentes para crianças de cerdas suaves e uma gota de creme dental sem flúor. Os pais devem consultar com seu pediatra sobre o melhor momento para que seus filhos visitem o odontologista, mas uma boa regra é: “a primeira visita no seu primeiro aniversario”. As visitas adicionais devem programar-se a cada seis meses, para garantir o bom desenvolvimento dental.

Recomendações para a saúde bucal, fase 2 (2-4 anos)

As crianças maiores de dos anos devem usar creme dental com flúor para ajudar a evitar a cáries enquanto seus dentes se desenvolvem.Supervise a seu filho até que tenha adquirido bons hábitos de escovação. Recomenda-se que o escove durante dois minutos, focando-se nos dentes que mais são usados durante a mastigação e nos dentes posteriores, que é onde geralmente se desenvolvem as primeiras cáries. Sabemos que para muitas crianças o fato de se limpar os dentes pode ser desagradável, por isso proponho algumas dicas que serão de ajuda para que a escovação seja uma experiência divertida para eles:

Use uma escova de dentes que lhe seja atraente para um lactante cujos dentes estão crescendo e que está aprendendo a escovar. Este tipo de escovas está projetado para alcançar todos os dentes efetivamente, com cabeça estreita e cerdas regulares.Escove-se junto a seu filho para dar um bom exemplo. Isso será muito útil, já que seu filho terá a oportunidade de observá-lo e imitá-lo. Cante a canção favorita do seu filho, ou coloque uma música do seu cantor favorito, durante os dois minutos de duração da escovação. Recite sua canção de ninar favorita, como “Os pintinhos dizem…”, quando estiver escovando os dentes.Os pais das crianças maiores de dois anos devem estar alertas ao impacto que os hábitos de consumo de alimentos e bebidas têm na saúde bucal, bem como na saúde geral. Os pais podem estimular hábitos saludáveis, como limitar as bebidas açucaradas, eliminar o uso da mamadeira e oferecer a seus filhos algumas opções saludáveis de alimentos e merendas.

Recomendações para a saúde bucal, fase 3 (5-7 anos)

Os dentes permanentes começam a aparecer na idade de cinco anos, por isso é importante usar um creme dental com flúor e uma escova de dentes.

Recomendações para a saúde bucal, fase 4 (+8 anos)

As crianças maiores de 8 anos devem usar um creme dental com flúor e uma escova de dentes projetado para uma complexa combinação de dentes permanentes e de leite de diferentes tamanhos.

Fonte: oralb.com.br

fb.com/iomodontologia/

(11) 98445.0119

IOM Instituto Odontológico Mogiano


  • 0
cuidado dental durante a gravidez

Cuidado dental durante a gravidez

Categoria:Artigos

Se você está grávida, seu dentista precisa saber sobre os primeiros indícios de sintomas de doença das gengivas. As mulheres grávidas têm um risco maior de sofrer de doença periodontal, já que os altos níveis de progesterona típicos da gravidez podem gerar uma resposta exagerada às bactérias da placa dental. É por isso que, as mulheres grávidas são mais propensas a desenvolver gengivite, inclusive se são constantes na sua rutina de cuidado bucal.

A gengivite é mais comum durante o segundo e oitavo mês de gravidez. Fale para seu dentista que você está grávida, e assim ele poderá lhe recomendar limpezas dentais mais regulares, durante o segundo trimestre ou ao iniciar o terceiro trimestre de gravidez, para ajudar a combater os efeitos dos níveis elevados de progesterona e assim evitar a gengivite.

Igualmente, uma dieta balanceada durante a gravidez lhe ajudará a ter uma boa saúde bucal e geral tanto para você quanto para seu bebê. Os dentes dos bebês começam a se desenvolver entre o terceiro e o sexto mês de gravidez; então, se certifique de consumir suficiente cálcio, vitamina D, vitamina C, vitamina A, fósforo e proteínas.

O fato de uma mulher perder cálcio dos dentes por não consumir o suficiente na sua dieta durante a gravidez, é um mito, de fato, qualquer perda de cálcio por uma dieta inadequada acontecerá nos ossos da mulher e não em seus dentes. Por isso, se uma mulher inclui suficiente cálcio na sua dieta durante a gravidez, seus dentes e ossos (e os do seu bebê) serão fortes e sadios.

Fonte: oralb.com.br

fb.com/iomodontologia/

(11) 98445.0119

IOM Instituto Odontológico Mogiano


  • 0
Tratamento odontologico

Cuidado de próteses: como limpar e guardar

Categoria:Artigos

Com o cuidado adequado e consultas odontológicas frequentes (pelo menos uma vez por ano) suas próteses serão parte saudável e natural de sua vida. Procure conselhos de cuidado de próteses para cuidar ao máximo seu sorriso.

Limpeza de próteses.

A placa pode se formar nas próteses igual do que nos dentes naturais. Se as próteses não se removem todos os dias podem perder a brancura e o brilho. É importante limpar diariamente suas próteses com uma escova dental e deixá-las em uma solução limpadora para evitar maus cheiros.

Limpe suas próteses sobre um lavatório cheio de água, para evitar que caiam no chão e se estraguem. Enxague a fundo suas próteses em água morna, para remover qualquer partícula de comida que possa ter. Use limpador de próteses. O creme dental convencional, os branqueadores, ou vinagre e o sabão não são limpadores de próteses; de fato, em alguns casos podem causar dano. As imperfeições nas próteses podem hospedar bactérias que ocasionam o mau cheiro. Os produtos fortes como o branqueador podem fazer com que algumas partes de sua prótese se tornem cor-de-rosa. Umedeça sua escova para próteses (não uma escova de cerdas suaves) para limpar todas as superfícies de sua prótese com delicadeza; se faz a escovação rudemente, podem se estragar as partes plásticas ou de metal da prótese. Umedeça e escove sua prótese em água morna. Escove suas gengivas, língua e dentes com creme dental com flúor antes de se colocar novamente suas próteses. Isso ajudará a remover placa dos dentes, estimular a circulação sanguínea e manter uma boa saúde bucal. Utilize enxague bucal depois da escovação para dar sensação de frescura a sua boca.

Remoção da prótese.

Enxague-se com água morna ou enxague bucal. Encha o lavatório com água morna para evitar que suas próteses se quebrem caso caiam no chão. Retire sua prótese superior, colocando seu polegar sobre os incisivos e pressione para cima e para baixo.Retire sua prótese inferior, puxando-a suavemente enquanto faz o movimento para frente e para trás.

Manutenção Profissional.

Visite a seu odontologista regularmente, como recomendado pelo Colégio de Prostodontia dos Estados Unidos (ACP, por suas siglas em inglês). Peça para seu odontologista recomendações no que tange ao cuidado bucal. Inclusive com o melhor cuidado bucal, depois de vários anos, devido às alterações naturais da boca, é necessário refazer suas próteses. O osso onde se coloca sua prótese se encolhe com o passar dos anos. Em geral, as próteses devem ser revestidas ou modificadas a depois de alguns anos e novas próteses devem ser feitas entre 5 e 10 anos. Informe a seu dentista ou prostodontista qualquer alteração em suas próteses; eles poderiam dizer se você precisa de qualquer modificação ou ajustamento em suas próteses ou simplesmente umas novas.

 

fb.com/iomodontologia/

(11) 98445.0119

IOM Instituto Odontológico Mogiano


O que você procura ?